quinta-feira, 10 de novembro de 2016

As origens de San Gimignano

Piazza Duomo, San Gimignano
No post de hoje vamos contar um pouco da história de umas das cidades que faz parte do roteiro da maioria dos visitantes que escolhem a Toscana como destino para suas férias: San Gimignano!

As origens de San Gimignano remontam ao século VI aC, quando os etruscos, provavelmente vindos de Volterra, em Val d'Elsa chegaram em busca de terra para cultivarem.  Aqui, os etruscos fundaram a sua nova aldeia, provavelmente onde agora está localizada a Piazza della Cisterna e Piazza del Duomo, com o nome de Velathri, em homenagem ao deus da floresta. De fato, na época, muito mais do que hoje, a cidade era cercada por hectares e hectares de florestas verdes.

Dessa época infelizmente não temos muitas notícias, pois somente nos últimos anos foram encontrados objetos etruscos em torno da cidade. Depois dos etruscos, os romanos também chegaram por aqui mudando, ou melhor, latinizando o nome da cidade para Silvan, Silva ou Silvia (de selva).

San Gimignano e suas torres gêmeas
No período das guerras bárbaras (530-556), Totila, o rei dos góticos, levava morte e destruição por onde passava e a cidade de Silvia foi salva com a ajuda do bispo de Modena chamado Santo Giminiano. Diz a lenda que durante as invasões de Totila, o bispo de Modena (que já era morto e nunca tinha colocado os seus pés na cidade), apareceu milagrosamente nas muralhas, salvando assim a cidade. Assim, os habitantes construíram uma pequena igreja no centro da cidade de Silvia (onde hoje se encontra o Duomo), nas margens da Via Francigena em honra do Santo. A Via Francigena era uma  importante estrada de comunicação, peregrinagem e comércio na época medieval. A estrada também é famosa porque foi percorrida por Carlos Magno durante a sua viagem a Roma. 

Para saber mais sobre a Via Francigena, clique AQUI.

San Giminiano que tem a cidade em suas mãos - Taddeo di Bartoli
Provavelmente no final do século VI, o nome da cidade foi mudado de Silvia para San Geminiano, popularizado mais tarde, em torno do ano 1000 em San Gimignano. 

Por volta do ano 1000, graças ao seu território estratégino no caminho da Via  Francigena, San Gimignano começou a se tornar uma verdadeira cidade, com um bom número de habitantes. San Gimignano, portanto, teve que ser cercada por uma muralha de proteção e ainda hoje podemos ver o que restou dessa antiga muralha em muitos lugares da cidade, e três das suas antigas quatro portas de entrada: o Arco da Chancelaria, Becci e Goro.


Antiga porta de entrada na cidade, hoje Arco dei Becci.
A fama de San Gimignano não terminou aqui. Durante o século XI a cidade cresceu passando assim a fazer parte da Diocese de Volterra. Foi nesse período que iniciou a construção dos palácios e da torres, símbolo do poder político, econômico e social dos senhores de origem feudal. 

No século XII, San Gimignano está em seu máximo esplendor, com muitos palácios luxuosos e 72 torres, e com uma população formada principalmente de comerciantes. No entanto, a cidade começa a não gostar da idéia de ser mais submissa ao bispo de Volterra, e assim depois de muitas lutas, em 1199, foi fundada a comuna de San Gimignano e foi nomeado o primeiro Podesta,  Maghinardo De 'Malevolti.

Praça da Cisterna (Piazza della Cistena)
No século XIII, San Gimignano continuou crescendo, dando origem a três burgos construídos fora dos muros da cidade: o Burgo de San Giovanni, San Matteo e Forliano. A economia da cidade nessa época era baseada principalmente no comércio e agricultura, com produtos conhecidos em todo o mundo como a Vernaccia di San Gimignano (vinho branco típico de San Gimignano) e o açafrão. Para incorporar dentro da cidade os novos três burgos foi construída uma nova muralha que atualmente podemos admirar ao redor da cidade. A atual muralha que vemos hoje foi objeto de diversos restauros ao longo dos séculos.

No dia 08 de maio de 1300, o famoso escritor, poeta e político florentino, Dante Alighieri visita a cidade, com a idéia de convencer a cidade a se aliar com os guelfos de Florença - coisa que consegue com um pouco de dificuldade.


A partir da metade de 1300 começa o declinio de San Gimignano por culpa da peste, carestia e principalmente pelo forte contraste entre os guelfos e guibelinos - (em italiano, Guelfi e ghibellini)  eram facções políticas que, a partir do século XII, estiveram em luta na Itália, especialmente na Toscana.

Entrada da Rocca di Montestaffoli - San Gimignano
Em 1353 San Gimignano perde a independência, submetendo-se a Florença e assim iniciou um verdadeiro e grande declínio econômico. Florença construiu uma grande Roca (Rocca di Montestaffoli), símbolo do domínio florentino, na colina da cidade, da onde controlava os ataques externos e interno. 

Domenico Ghirlandaio - Capela de Santa Fina - Duomo de San Gimignano
Após a dominação de Florença, o crescimento econômico, arquitetônico e cultural nunca mais foi o mesmo. A população diminuiu, os palácios foram abandonados, a maior parte da torres foram "rebaixadas" ou destruídas. Mas apesar do declínio, o século XV presenteou San Gimignano com obras de artistas  de grande prestígio  como Domenico Ghirlandaio, Benozzo Gozzoli, Benedetto da Maiano, que renovam e enriquecem o patrimônio artístico das igrejas de San Gimignano. O século XVII será o ponto mais baixo na história da cidade, quando se tornará, após a praga de 1631, um dos lugares mais pobres do Grão-Ducado com apenas 3.000 habitantes. 


Pelas ruas de San Gimignano
De 1.800 para cá não houve mudanças no que respeita à estrutura da cidade. Hoje San Gimignano possui cerca de oito mil habitantes, vive de agricultura, principalmente da produção do vinho Vernaccia e de turismo,além de ser uma das pérolas da Toscana, cidade da arte sob a proteção da UNESCO, é conhecida mundialmente como a cidade das torres.

Marcadores

Acampamento no deserto Acordos Internacionais Arezzo Arqueologia Arte Assistencia Bagno Vignoni Bate-Papo com o Leitor Beato Angelico Berlim Brasil Brasileiros no Mundo Brunello Calábria Campanhas Campania Cantinho da Fada Peregrina Capela Sistina Cappella Brancacci Caravaggio Caserta Casertavecchia Chianciano Chianti Cinema Consulados Conversa fiada Corredor Vasariano Cortona Curiosidades Dante Datas Comemorativas Desvendando Florença Dicas de Viagem Dirigir na Italia Donatello Educaçao Emilia-Romagna Enogastronomia Enquetes e entrevistas Esporte Estudar na Italia Eventos Ferrari Fez Fique de olho Firenze Florença Galeria de arte moderna Ghirlandaio Giotto Governo Italiano Grandes Pensadores Guia de Turismo Guia Florença Hoteis em Florença Humor Igrejas Imigraçao Inferno Dan Brown Informatica Italia Jubileu Lavoro Legislação Italiana Leonardo da Vinci Livros Lucca Macchiaioli Mae Maranello Marrakech Marrocos Matrimonio Medici Memes Mercadinho de Natal Meus Rabiscos Michelangelo Milão Moda Montalcino Montecatini Montefalco Montepulciano Mugello Mulher Brasileira Multas Museu Davanzati Museu de São Marcos Museus Napoli Natal Nobile de Montepulciano Noticias Outlet Paestum Palazzo Pitti Palazzo Vecchio Palermo Palio Para relaxar Parceiros Patente italiana Permessos vistos e Cidadania Piazza della Signoria Piazzale Michelangelo Pienza Pisa Politicas Prostituiçao Puglia Rafael Sanzio Receitas Recursos Humanos Reis Magos Roma Sabores da Italia Salvatore Ferragamo San Gimignano San Marino San Quirico San Vivaldo Sandro Botticelli Santa Croce Santos São Francisco São Lorenzo Sardegna Saude Scaperia Sicilia Siena Sobre mim Soltando os bichos TAX FREE Teatro Romano Torre de Pisa Torres Toscana Transporte Trenitalia Truffa Turismo TV Uffizi Umbria Università Val d'Orcia Valle D' Aosta Vasari Vaticano Veneza Vesuvio Viagem Vida a dois - Vita di coppia Videos Ville Medicee Vinhos Volterra
Noticias da Bota. Imagens de tema por Storman. Tecnologia do Blogger.