quarta-feira, 26 de junho de 2013

Bate-papo com o leitor: Estudar na Italia parte II

Finalmente consegui publicar a segunda entrevista com brasileiros que estudam ou estudaram na Italia. A nossa entrevistada de hoje è a Juliana do blog La Nostra Italia.

Antes de começar, gostaria de agradecer a Juliana por compartilhar com a gente a sua experiência! Grazie mille!

Vamos là?




01) Duas palavrinhas sobre você, caso prefiras não se identificar, respeitaremos a sua privacidade.

Meu nome é Juliana, sou de São Paulo e atualmente moro no norte da Itália.

02) Qual a Universidade que vc frequentou? Em qual cidade? Como funciona o processo de inscrição? Precisa fazer algum tipo de prova? 

Frequentei a Università Cattolica del Sacro Cuore, em Milão. Como ainda morava no Brasil, o processo de inscrição foi assim:

1.      Fiz a pré-inscrição para o curso escolhido no site da universidade.

2.      Enviei, via e-mail, meu currículo, um formulário de inscrição para a universidade e uma carta de motivação, na qual escrevi uma breve apresentação sobre mim e os motivos de ter escolhido aquele curso. 

3.      Preparei uma série de documentos exigidos pelo consulado italiano para a legalização e a declaração de valor (uma verificação que é feita para verificar e comprovar que são legais as instituições de ensino que frequentei): domanda preiscrizione cittadini non-comunitari residente all’estero (é um formulário de pedido de pré-inscrição exigido pelos cidadãos não comunitários, ou seja, sem cidadania europeia, e residentes no exterior, no caso, o Brasil) devidamente preenchido e assinado; histórico escolar e certificado de conclusão do Ensino Médio (antigo Segundo Grau) com firma reconhecida em cartório do diretor ou secretário da escola e acompanhados de tradução feita por um tradutor juramentado com firma reconhecida em cartório; cópia da página do Diário Oficial onde consta a “Lauda de Concluinte” do Ensino Médio (no Diário Oficial contêm as “Listas de Concluinte” a partir de 1980; para títulos obtidos antes de 1980, o histórico escolar precisa do “Visto Confere” da Delegacia de Ensino); histórico escolar e diploma do Ensino Superior com firma reconhecida e traduzidos por um tradutor juramentado com firma reconhecida em cartório; conteúdo programático (o programa detalhado de cada matéria do seu curso; geralmente tem no site da própria universidade) do Ensino Superior, encadernado e acompanhado por uma declaração fornecida pela universidade e com firma reconhecida (no meu caso, pediram apenas a tradução juramentada e com firma reconhecida da declaração e não de todo o programa – para a felicidade do meu bolso!); xérox de todos os documentos citados e de um documento de identidade válido; e duas fotos 3x4.

4.      Enviei, via correio, a cópia de todos os documentos apresentados ao consulado.

03) Qual o curso? Qual o período de duração?

O curso que frequentei foi o Master in Media Relation (Pós-graduação Lato sensu em Assessoria de Imprensa) e a duração foi de 9 meses (6 meses de aulas diárias em período integral e 3 meses de estágio)

04) Qual a língua que foi utilizada durante o curso (italiano, inglês, etc)? Você já falava a língua italiana quando se matriculou ou aprendeu mais tarde? É fundamental conhecer o idioma italiano? Vc sentiu alguma dificuldade com a língua? 

A língua utilizada no curso era o italiano, que já falava com uma certa fluência por ter me formado em Letras com habilitação na área de português e italiano e por ter trabalhado com italianos em São Paulo. Mesmo com toda esta bagagem linguística, tive algumas dificuldades no começo para entender certos termos técnicos ou expressões midiáticas que foram superadas através de leituras de jornais, livros e conversas com nativos. 

Quando você se muda para um outro país, é muito importante aprender a língua local para poder se integrar na sociedade e arrumar um emprego. O inglês, embora seja considerado língua universal, ainda está longe do ideal de bilinguismo na Itália (e em boa parte da Europa).

05) Existe alguma diferença entre os métodos didáticos das universidades italianas e as brasileiras? Se sim, qual foi a maior dificuldade?

De acordo com minhas experiências, em ambas as universidades as aulas eram expositivas. A diferença é que na Itália, dava-se muita ênfase à prática com os laboratórios e as visitas a locais como agências de comunicação e sede de jornais, além de conferências com jornalistas e figuras da mídia italiana.  Outra coisa que notei é que a maior parte da avaliação aqui é oral.

06) Foi complicado tirar o visto de estudos?

Não foi complicado, mas é preciso se organizar bem antes e levar todos os documentos completos para não ter que agendar um outro dia ou enfrentar filas de espera.

07) Vc conseguiu alguma bolsa de estudos? Se sim, onde e como.

Sim, foi através do programa MIRA, proposto pela Università Cattolica del Sacro Cuore em colaboração com a Câmara de Comércio de Milão, a Università Bocconi e o Politécnico de Milão, que buscava candidatos qualificados nas áreas de interesse para o sistema econômico milanês (a América Latina estava entre elas). Consegui a bolsa após ter me inscrito para o programa e ter passado por uma entrevista de avaliação, feita por telefone mesmo porque ainda morava no Brasil.

08) Qual o gasto médio anual para fazer um curso de especialização na Italia.

Na época em que estudei, o curso total custava em torno dos €6.000. Some ainda custo de moradia (o aluguel é caro em uma cidade como Milão, mas dividindo as despesas com outras pessoas pode sair em até €300 por mês ou “gratuita” se você encontra famílias que hospedam estudantes a troco de pequenas ajudas no lar), do trasporte (fazer um abbonamento mensal, uma espécie de passe escolar, sai muito mais barato que comprar o bilhete todos os dias), vestiário e alimentação (o custo de uma compra para duas pessoas, em um supermercado mais popular, sai em torno dos €60 por semana).

09) Como vc resolveu o problema de acomodação durante o período que estudou na Italia?

Fiquei hospedada na casa de amigos brasileiros que já moravam na Itália.

10) Depois do curso, vc retornou ao Brasil? Se sim, foi fácil reconhecê-lo no Brasil?
Não retornei

11) Vc indicaria o curso que vc fez para outros estudantes brasileiros?
Sim, principalmente para quem gostaria de atuar na área de comunicação e aprimorar a língua italiana.

12) Qual è o primeiro passo que um estudante deve dar para fazer um curso de especialização na Italia?
Pesquisar sobre a oferta formativa do curso, se ele é interessante para complementar sua formação precedente, se você tem a possibilidade de pedir uma bolsa de estudo e abre as portas para o mercado de trabalho (e/ou para seu interesse pessoal).

13) Durante o período de estudos, foi possivel encontrar um trabalho na Italia?
Não, já que era um curso no período integral. Mas eu fazia alguns trabalhos através de contatos no Brasil, como tradução e revisão de textos.

14) Alguma dica ou conselho para quem esta pensando em estudar na Italia.
Dedique seu tempo livre na busca pelos cursos que deseja frequentar. Faça uma lista dos que mais lhe interessam com todas as informações oferecidas, assim fica mais fácil de escolher depois; pesquise por bolsas de estudos: nos sites das universidades, no da Embaixada da Itália no Brasil (há muitos programas voltados para brasileiros com ou sem dupla-nacionalidade), em blogs e sites de brasileiros no exterior ou de comunidades italianas, nas universidades que oferecem intercâmbio ou com amigos que já participaram de algum programa. Enfim, a Itália oferece muita bolsa de estudo para estrangeiros, pena que a divulgação é um pouco restrita.


Marcadores

Acampamento no deserto Acordos Internacionais Arezzo Arqueologia Arte Assistencia Bagno Vignoni Bate-Papo com o Leitor Beato Angelico Berlim Brasil Brasileiros no Mundo Brunello Calábria Campanhas Campania Cantinho da Fada Peregrina Capela Sistina Capo Vaticano Cappella Brancacci Caravaggio Caserta Casertavecchia Chianciano Chianti Cinema Consulados Conversa fiada Corredor Vasariano Cortona Curiosidades Dante Datas Comemorativas Desvendando Florença Dicas de Viagem Dirigir na Italia Donatello Educaçao Emilia-Romagna Enogastronomia Enquetes e entrevistas Esporte Estudar na Italia Eventos Ferrari Fez Fiesole Fique de olho Firenze Florença Galeria de arte moderna Ghirlandaio Giacomo Leoparti Giotto Governo Italiano Grandes Pensadores Grutas de Frasassi Guia de Turismo Guia Florença Hoteis em Florença Humor Igrejas Imigraçao Inferno Dan Brown Informatica Italia Jubileu Lavoro Le Marche Legislação Italiana Leonardo da Vinci Livros Loreto Lucca Macchiaioli Mae Maranello Marrakech Marrocos Matrimonio Medici Memes Mercadinho de Natal Meus Rabiscos Michelangelo Milão Moda Montalcino Montecatini Montefalco Montepulciano Mugello Mulher Brasileira Multas Museu Davanzati Museu de São Marcos Museus Napoli Natal Nobile de Montepulciano Noticias Outlet Paestum Palazzo Pitti Palazzo Vecchio Palermo Palio Para relaxar Parceiros Patente italiana Permessos vistos e Cidadania Piazza della Signoria Piazzale Michelangelo Pienza Pisa Politicas Prostituiçao Puglia Rafael Sanzio Recanati Receitas Recursos Humanos Reis Magos Roma Sabores da Italia Salvatore Ferragamo San Gimignano San Marino San Quirico San Vivaldo Sandro Botticelli Santa Croce Santos São Francisco São Lorenzo Sardegna Saude Scaperia Sicilia Siena Sobre mim Soltando os bichos Spello TAX FREE Teatro Romano Todi Torre de Pisa Torres Toscana Transporte Trenitalia Tropea Truffa Turismo TV Uffizi Umbria Università Val d'Orcia Valle D' Aosta Vasari Vaticano Veneza Vesuvio Viagem Vida a dois - Vita di coppia Videos Ville Medicee Vinhos Volterra
Noticias da Bota. Imagens de tema por Storman. Tecnologia do Blogger.