domingo, 19 de dezembro de 2010

Vernedi 17: Gelo e caos em Firenze


Vernedi 17 è um dia que para os italianos superticiosos traz má sorte, seria o nosso tradicional sexta feira 13. E para ser fiel a tradição, Firenze viveu de verdade, um Vernedi 17, na última sexta feira. Como eu já disse aqui diversas vezes, quando neva em Firenze è porque a Italia inteira está congelada. A neve não faz parte da vida quotidiana dos fiorentinos, a cidade não é preparada para grandes nevascas. Desde de que cheguei aqui, eu vi neve em Firenze ano passado, mas foi coisa rápida, de poucas horas e que não gerou grandes transtornos. Mas sexta feira passada, ou seja, vernerdi 17, a coisa ficou feia! 

Era mais ou menos por volta de meio dia quando olhei pra janela e vi tudo branquinho...Eu não vi quando começou a nevar, quando me dei conta, já estava tudo branco. Confesso, que ver cair os primeiros flocos de neve, de ver o branco descolorindo as casas, as arvores, è algo que realmente encanta, ainda mais pra gente, que o fenômeno da neve, não fazia parte da nossa vida, fazia parte das estórias natalinas da nossa infância. Realmente a presença da neve nos emociona e nos faz crer o quanto a força da natureza è muito maior do que a vontade humana.  

Tudo muito bonito, na primeira meia hora, porque depois disso, nem mesmo os turistas conseguem achar graça. Neve na cidade, principalmente as despreparadas e não habituadas, gera um caos. Firenze em poucas horas ficou completamente paralizada, um dia de cão, como a gente diz no Brasil. A primera coisa que parou, foi o transporte público: ônibus, tramvia, ferrorias, aeroportos e estradas fechadas.. Ninguém entrava e ninguém saia de Firenze, e o pior de tudo: ninguém se movia dentro de Firenze. O trânsito completamente "bloccato" porque a maioria dos motoristas não tinham a bordo do seu carro as "catene" (correntes que se colocam nos pneus dos carros para andar em estradas congeladas. A falta de catene, inclusive nos onibus, gerou um abandono geral dos carros pelas estradas, paralizando assim o trânsito. Meu marido trabalha a 11km de distância de casa, e para fazer todo o percurso foi necessário 05 horas, mesmo assim ele foi "sortudo" porque a maioria das pessoas caminharam horas debaixo da neve para chegar em casa a pé.

O que eu fico me perguntando: será que o comune, a defesa civil, não tinha como evitar todo esse caos? Não tinha como avisar o cidadão que a previsão do tempo era ruim e que todos deviam portar as tais "catene" para uma grande provavel emergência? O Sindaco (Prefeito) de Firenze, publicou no Facebook que a previsão de neve a baixa quota era de 05cm e que nevaria somente até as 16 horas, mas que na verdade nevou cerca de 30cm e que tudo que se podia fazer foi feito pelo comune. Porém tudo que foi feito (abertura da zona ZTL no centro histórico para transito de automóveis, abertura da Fortezza da Basso para acolher as pessoas que estavam desabrigadas na Estação SMN, etccc... tudo isso não foi suficiente.

A negligência não foi só do Comune não, a Ferrovia também tem grande culpa. Nevou... nevou... mas como assim não tinha trem? No norte da Italia, nos paises de montanha, neva muito mais do que isso e a ferrovia funciona. 

Além de todos esse problemas de transito e transporte, o que eu vi de arvores caidas, ou melhor, grandes galhos de arvores que não suportanto o peso da neve entre as folhas cairam, obstruindo estradas, amassando carros e motos...

Desculpem o desabafo, eu estava em casa, quentinha e vendo a neve pela janela, mas fiquei pensando em quem voltava do trabalho, em quem tinha que pegar as crianças na escola...em quem estava partindo e em quem estava chegando em Firenze: Uma verdadeira sexta feira de terror!

Abaixo, algumas imagens de Firenze congelada.









No dia seguinte, passado o Vernedi 17, Firenze  amanheceu assim... Coberta de gelo, mas com um céu azul, prometendo que dias melhores  e mais quente virão...




Marcadores

Acampamento no deserto Acordos Internacionais Arezzo Arqueologia Arte Assistencia Bagno Vignoni Bate-Papo com o Leitor Beato Angelico Berlim Brasil Brasileiros no Mundo Brunello Calábria Campanhas Campania Cantinho da Fada Peregrina Capela Sistina Cappella Brancacci Caravaggio Caserta Casertavecchia Chianciano Chianti Cinema Consulados Conversa fiada Corredor Vasariano Cortona Curiosidades Dante Datas Comemorativas Desvendando Florença Dicas de Viagem Dirigir na Italia Donatello Educaçao Emilia-Romagna Enogastronomia Enquetes e entrevistas Esporte Estudar na Italia Eventos Ferrari Fez Fique de olho Firenze Florença Galeria de arte moderna Ghirlandaio Giotto Governo Italiano Grandes Pensadores Guia de Turismo Guia Florença Hoteis em Florença Humor Igrejas Imigraçao Inferno Dan Brown Informatica Italia Jubileu Lavoro Legislação Italiana Leonardo da Vinci Livros Lucca Macchiaioli Mae Maranello Marrakech Marrocos Matrimonio Medici Memes Mercadinho de Natal Meus Rabiscos Michelangelo Milão Moda Montalcino Montecatini Montefalco Montepulciano Mugello Mulher Brasileira Multas Museu Davanzati Museu de São Marcos Museus Napoli Natal Nobile de Montepulciano Noticias Outlet Paestum Palazzo Pitti Palazzo Vecchio Palermo Palio Para relaxar Parceiros Patente italiana Permessos vistos e Cidadania Piazza della Signoria Piazzale Michelangelo Pienza Pisa Politicas Prostituiçao Puglia Rafael Sanzio Receitas Recursos Humanos Reis Magos Roma Sabores da Italia Salvatore Ferragamo San Gimignano San Marino San Quirico San Vivaldo Sandro Botticelli Santa Croce Santos São Francisco São Lorenzo Sardegna Saude Scaperia Sicilia Siena Sobre mim Soltando os bichos TAX FREE Teatro Romano Torre de Pisa Torres Toscana Transporte Trenitalia Truffa Turismo TV Uffizi Umbria Università Val d'Orcia Valle D' Aosta Vasari Vaticano Veneza Vesuvio Viagem Vida a dois - Vita di coppia Videos Ville Medicee Vinhos Volterra
Noticias da Bota. Imagens de tema por Storman. Tecnologia do Blogger.