domingo, 20 de setembro de 2009

O primeiro dia escola... você se lembra?

Essa semana começou o ano letivo aqui na Italia. Diferentemente do Brasil, o ano letivo aqui começa em setembro e vai até meados de junho do próximo ano. Entre o natal, ano novo e a festa da Befana no inicio de janeiro, eles fazem uma pausa. As férias escolares acontecem no verão nos meses de Junho, julho e agosto. No verão o povo passeia e no inverno.... todo mundo estudando!

Ao ver tantas crianças indo pra escola pela primeira vez, comecei a relembrar como foi o meu primeiro dia aula. Você se lembra do seu?

Na época que eu comecei a estudar, so poderíamos entrar na escola com sete anos completos... não tinha essa de jardim de infancia, pré-escolar... não tinha nada disso.. a gente começava era na 1a. série mesmo com 7 anos. Com seis anos, minha mãe nos colocou (eu e minha irmã) numa "explicadora", uma senhora que dava aulas para crianças que estavam se alfabetizando e ali a gente aprendeu a ler e a escrever. A professora já era uma senhora e se chamava Luzinete, e as regras e métodos que ela usava era bastante rígidos. Ela chegava a colocar a gente de castigo ajoelhadas no caroço de milho. Tinha um quadro negro enorme e ela usava sempre uma régua grande, de madeira, para apontar as anotações feitas no quadro. É claro, que algumas vezes, a régua parava na cabeça da gente. Tinha outros alunos, da mesma idade da gente. Eu nunca contei a minha mãe os maltratos, porque eu morria de medo da professora.

Com sete anos, a gente foi pra escola. Eu sempre estudei em escolas publicas, sempre. Só a faculdade que fiz numa particular, a Universidade Católica de Petrópolis. No primeiro dia de aula eu fiquei encantada. Todos aqueles alunos em fila no pátio da escola, esperando o Hino Nacional para podermos ir para a sala de aula. A escola era praticamente nova, tinha apenas um ano de vida. O prédio era enorme: todo pintado de branco e cor de abobora. Haviam 4 ou 5 andares, não me lembro agora. No primeiro piso, tinha o refeitório, um pequeno patio interno, onde a gente corria na hora do recreio e os banheiros masculinos e femininos. Não havia a cantina pra gente comprar merendas: ou a gente comia a merenda oferecida pela escola ou a gente trazia de casa. Não tinha essa coisa das crianças se encherem de porcaria na escola.

A minha primeira professora se chamava Walnya, tinha mais ou menos seus 40 anos, loira, cabelos curtos, falante, elegante e morava no Meier. Naquela època eu nem sabia onde ficava o Meier, mas ela sempre falava com muito orgulho que morava lá, e queria que todos os nossos cadernos fossem comprados na Casa Mattos do Meier, que hoje nem deve existir mais.

O caderno era lindo... Imagina, uma pirralha de sete anos, usando caderno grandes, tipo universitário! O meu caderno tinha o desenho do Zé Colmeia e eu adorava! O da minha irmã em vez, tinha o desenho do Pepe Legal!

Uma coisa curiosa que aconteceu no primeiro dia de aula, foi que a acomodação dos alunos na sala de aula foi feita da seguinte forma: as carteiras foram enfileiradas em grupos de duas, ou seja, um grupo de duas carteiras juntas. Assim sentavam um menino e uma menina juntos, escolhidos de acordo com a ordem alfabética dos nomes. Como meu nome começa com C e da minha irmã começa com R, a gente ficou muito longe uma da outra. E quando ela percebeu isso, abriu um berreiro! Minha irma chorava desesperada, porque queria sentar ao meu lado. A professora se assustou e no primeiro dia de aula deixou a gente sentar juntas, porém, no outro dia a minha mãe conseguiu convence-la que teríamos que ficar separadas.

Depois de um mês ou dois, a minha turma foi dividida e ai começou o meu primeiro trauma escolar. Eu não sei qual foi o sistema que eles usaram, mas o fato è que metade dos alunos tiveram que mudar de professora, inclusive eu! A nova professora se chamava Vera Marcia, uma loira mais jovem, exuberante, linda e alta! Mas eu não esquecia a "Tia Walnya", eu queria minha professora de volta de qualquer maneira. Não era nem por causa dos coleguinhas, mas pela professora! Fiquei traumatizada e tive que conviver com o trauma até o final daquele ano.

Para minha alegria e felicidade, no segundo ano, advinhem quem era a professora?

a "Tia Walnya"

E ela continuo sendo a minha professora por todo o primário. Eu me apaixonei pela professora! Tudo dela era mais bonito.. Ela era um pouco exótica! Quando tinha quadrilha na escola, ela sempre inventava danças diferentes pra gente, especialmente danças do sul do Brasil. Enquanto todo mundo dançava quadrilha, a gente preparava uma surpresa diferente a cada ano.

E ai, quando a gente foi pro ginasio, meu irmão caçula começou a estudar. E advinhem quem foi a professora dele por todo o primário? A Tia Walnya ! Meu irmão se tornou o queridinho dela....Taí uma pessoa que eu gostaria de saber por onde anda!

4 on: "O primeiro dia escola... você se lembra?"
  1. Essa Tia Walnya ficaria feliz ao ler isso,não? Lindas lembranças que todos temos,beijois, bom domingo,chica

    ResponderExcluir
  2. Chica

    Eu acho que ela gostaria de saber sim.... Bem que eu queria saber por onde ela anda!!!

    Um beijo pra ti e obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, voce me fez despertar as lembraças da minha época também!
    Eu comecei na primeira série com 6 anos, em uma escola publica. Era 1989 e na época a escola publica era uma escola decente e melhor até que muitas instituiçoes particulares (até os livros eram os mesmos). Minha mae ja tinha me ensinado a ler, por isso pulei o prezinho.
    Na época, meu irmao nao tinha nem um mes e minha mae, em resguardo por causa do parto, nao podia me levar. A vizinha, toda intrometida se propos a me levar e minha mae lhe passou as recomendaçoes: se eu nao quisesse entrar, era para me levar de volta para a casa.
    O primeiro dia foi tranquilo, apesar de me encontrar no meio de muitas crianças, uma coisa nunca vista antes :D Eu era nova, alguns dos meus colegas ja se conheciam do pré e acho que com isso me sentia meio excluida. Nos proximos dias eu chorava e a vizinha gritava e brigava comigo, sem a menor paciencia. Minha mae ficou sabendo disso depois que pode finalmente me levar à escola, ja que eu tinha medo da vizinha e nao contava nada das broncas.
    Também tive a professora-idolatrada. Ela também era loira, elegante e ja tinha seus 40 anos. Era a minha mae da escola e se ela faltasse, queria voltar para casa. O nome dela é Roseli e depois da primeira serie, nunca mais a vi...
    A professora substituta era seu oposto. Da mesma idade, cabelo escuro, magra e brava, parecia aquela personagem do Pica-Pau. Uma vez ela me colocou no fundo da sala e brigou comigo porque eu estava chorando.
    Engraçado que as professoras da época eram mais velhas e com metodos psicologicos um pouco antiquados... depois da professora Roseli, so na terceira serie que tive uma professora boazinha e mais jovem, mas nao me lembro do seu nome. A da quarta-serie era uma verdadeira bruxa e brigava constantemente comigo porque me confundia com uma menina que se chamava Carolina. Até minha mae foi falar com ela, porque tudo era motivo para brigar... até que ela se desculpou (mas nunca deixou de se confundir).
    Na faculdade, conheci algumas amigas que eram professoras de Ensino Fundamental I. Todas com seus 18, 20 anos.
    Também sempre estudei em escola publica, nas escolas estaduais, continuando meu percurso na Universidade de Sao Paulo. So aqui na Italia que estudei em universidade particular.
    Desculpe se escrevi demais...
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ju

    Adorei seu depoimento!!!! A pagina è sua, pode escrever o quanto voce quiser! Eu lembro poucas coisas da minha infancia, porque tive muitos problemas devido a separaçao dos meus pais, mas da escola eu lembro perfeitamente!!!! Se fecho os olhos, consigo ver a Tia Walnya de mais de 30 anos atras...

    Obrigada pela sua participaçao

    ResponderExcluir

Cristiane de Oliveira, brasileira, natural do Rio de Janeiro, mora em Florença
há mais de cinco anos. Apesar de ter o coração verde e amarelo, se apaixonou pela Italia e mais precisamente por Florença a ponto de estudar minusiosamente a história da arte, do povo e da cidade onde vive. Hoje, Cristiane, è guia turística autorizada da cidade de Florença.

- Favor não usar termos ofensivos ou palavras inadequadas;
- Evite o uso desnecessário e excessivo do "Internetês" ou abreviaturas;
- Seja claro e objetivo;
- Leia os comentários antes de postar perguntas repetidas ou já respondidas;
- Procure postar os comentários nas páginas dos respectivos assuntos;
- Elogios são bem-vindos, críticas e sugestões também.

Obrigada pelo seu comentário !

Comentários racistas e ofensivos não serão lidos e nem publicados.

Marcadores

Acampamento no deserto Acordos Internacionais Arezzo Arqueologia Arte Assistencia Bagno Vignoni Bate-Papo com o Leitor Beato Angelico Berlim Brasil Brasileiros no Mundo Brunello Calábria Campanhas Campania Cantinho da Fada Peregrina Capela Sistina Capo Vaticano Cappella Brancacci Caravaggio Caserta Casertavecchia Chianciano Chianti Cinema Consulados Conversa fiada Corredor Vasariano Cortona Curiosidades Dante Datas Comemorativas Desvendando Florença Dicas de Viagem Dirigir na Italia Donatello Educaçao Emilia-Romagna Enogastronomia Enquetes e entrevistas Esporte Estudar na Italia Eventos Ferrari Fez Fiesole Fique de olho Firenze Florença Galeria de arte moderna Ghirlandaio Giacomo Leoparti Giotto Governo Italiano Grandes Pensadores Grutas de Frasassi Guia de Turismo Guia Florença Hoteis em Florença Humor Igrejas Imigraçao Inferno Dan Brown Informatica Italia Jubileu Lavoro Le Marche Legislação Italiana Leonardo da Vinci Livros Loreto Lucca Macchiaioli Mae Maranello Marrakech Marrocos Matrimonio Medici Memes Mercadinho de Natal Meus Rabiscos Michelangelo Milão Moda Montalcino Montecatini Montefalco Montepulciano Mugello Mulher Brasileira Multas Museu Davanzati Museu de São Marcos Museus Napoli Natal Nobile de Montepulciano Noticias Outlet Pádua Paestum Palazzo Pitti Palazzo Vecchio Palermo Palio Para relaxar Parceiros Patente italiana Permessos vistos e Cidadania Piazza della Signoria Piazzale Michelangelo Pienza Pisa Politicas Prostituiçao Puglia Rafael Sanzio Recanati Receitas Recursos Humanos Reis Magos Roma Sabores da Italia Salvatore Ferragamo San Gimignano San Marino San Quirico San Vivaldo Sandro Botticelli Santa Croce Santos São Francisco São Lorenzo Sardegna Saude Scaperia Sicilia Siena Sobre mim Soltando os bichos Spello TAX FREE Teatro Romano Todi Torre de Pisa Torres Toscana Transporte Trenitalia Tropea Truffa Turismo TV Uffizi Umbria Università Val d'Orcia Valle D' Aosta Vasari Vaticano Veneza Vesuvio Viagem Vida a dois - Vita di coppia Videos Ville Medicee Vinhos Volterra
Noticias da Bota. Imagens de tema por Storman. Tecnologia do Blogger.