sexta-feira, 5 de junho de 2009

Uma primeira visao da Italia

No mes passado, vieram duas amigas brasileiras conhecer a Italia. E é claro, copiando a idéia da Babi do Blog Brasil na Italia resolvi fazer umas perguntinhas basicas e dividir com voces. A primeira entrevistada foi a Elisangela, brasileira, casada e que vive nos Eua.

Lisa, obrigada por particiar do nosso Blog. Achei sua entrevista maravilhosa! Obrigada de coraçao!

1) Quais eram as sua expectativas antes de conhecer a Itália? O que você pensava que iria encontrar?

Minhas expectativas eram de encontrar um povo alegre, música e dança em todos os lugares, muito vinho, comidas maravilhosas, ou seja, imaginei que a Itália seria um "país em festa". Também imaginei que iria encontrar muitas construções em ruínas (prédios velhos, igrejas velhas) ao meio de um pais moderno de primeiro mundo. Mas principalmente, ficava imaginando as grandes fazendas de azeitona e de vinhos.

2) Suas expectativas estavam corretas ou você teve alguma surpresa?

Decepções: O
s italianos não são assim tão receptivos e alegres como sempre ouvi falar, diria até que um pouco rude. Cidades sujas e pixadas também não era o que eu esperava ver. Mas, a maior decepção foi descobrir que é ilegal fazer churrasco.

Grandes surpresas: O acervo arqueológico, os quadros, as esculturas são super, hiper impressionantes mesmo para alguém como eu que não tem tantas afinidades com historia. As ruas pareciam desfile de moda, todo mundo magerrimo e super elegante. Mas, nada me surpreendeu tanto quanto o Vaticano, não importa se você é religioso ou não, a grandiosidade, beleza e energia daquele lugar é contagiante.

3) Você notou ou presenciou algum tipo de preconceito com você ou com terceiros durante a sua estadia na Itália? Se sim, pode nos contar o episódio.

A alta velocidade e correria de um turista tentando visitar o maior numero de lugares em curto tempo, não permite a aproximação com muitas pessoas e creio que por não ser um casal convencional (uma brasileira com um marido americano e grande) de alguma forma me proteje de alguns episodios/situações que por ventura aconteceria se eu estivesse sozinha.

4) Você conhecia o idioma italiano? Se não, teve alguma dificuldade para entender a língua e se fazer entender?

Meu conhecimento do Italiano restringi-se a "buon giorno" e "ciao bella". Porque até mesmo dizer "obrigada" (grazie) ainda é causa de duvidas. É possível entender boa parte do que eles dizem. O problema maior é que assim que os italianos percebiam que eu era estrangeira eles paravam de falar. Diria que entender os italianos não foi assim tão difícil, o complicado mesmo foi entender porque é que eu insistia em falar em espanhol com eles!!? Mesmo porque a pronuncia do português é muito mais parecida com o italiano. Porem mais uma vez, tenho a vantagem do inglês, que difinitivamente me ajudou mais do o espanhol!!

5) No exterior, os italianos possuem um protótipo de serem alegres, falantes, grosseiros e comedores de massas. Você concorda com essa afirmacão?

Nos 18 dias que passamos na Itália encontramos apenas uma pessoa que se encaixaria nesse protótipo. Era uma jovem mulher dançando e cantando na rua, mas para nos brasileiros acho que diríamos que era somente mais uma "doidinha".

A fama de grosseiro eu nunca havia ouvido, mas se existe, mesmo com a minha curta viagem eu tenho que concordar. Um exemplo típico era até mesmo nos hotéis (onde normalmente todo os funcionários são super educados) receber respostas como "of course" (claro que sim) para perguntas como o elevador fica nesta direção?. Mas a ganhadora foi: aproximei do atendente do "bar americano" (uma lanchonete dentro do hotel) e indaguei se seria possível preparar uma salada, já que não havia visto no cardápio. E para minha grande surpresa a resposta foi: "se você não viu no cardápio tudo que precisa fazer é me perguntar, se eu tiver eu digo que tenho, se eu não tiver eu digo que não tenho". Fiquei boquiaberta!!

6) Qual foi a cidade italiana que você mais gostou? Porque?

Firenze é com certeza a cidade que tem mais chance de agradar gregos e troianos, por sua diversidade e variedade. Mas, meu coração bateu mais forte mesmo foi por San Gimignano!! Que vista maravilhosa, que sensação maravilhosa de ter viajado no tempo, porem ao mesmo tempo com tantas lojinhas de produtos artesanais, um lugar tão vivo! Amei, adorei, lindo, mágico!!

7) Como è ser turista na Italia?

Pura emoção e adrenalina! A comecar por dirigir nas ruas estreitas e com motoristas "muy, muy locos". Para toda a direção que você olha tem algo incrível, mesmo quando você se perde, acaba encontrando no caminho algo muito curioso e/ou belo.

Graças a amigos como a Cristiane e Rosana que nos deram tantas dicas, pudemos aproveitar muito mais a nossa curta, porem inesquecível viagem. Obrigada meninas. Minhas guias turísticas favoritas. Sem falar na honra de ter um italiano legitimo, nos guiando e embebedando nas estreitas e belas ruas de Greve di Chianti.

8) O que você achou da cozinha italiana? Qual o prato que te chamou mais atenção?

Ah, como eu passei fome!! Até a pizza que todos falam que ótima ... além de serem feitas em pão árabe (quer coisa mais sem graça que pão árabe), comer pizza "requentada" no microondas!! Ninguém merece.

E sinceramente, macarrão com um morrinho de massa de tomate e uma galhinho como cobertura ... até um "miojozinho" básico desce melhor.

Eu sei que eu sou mais enjoada que os outros no quesito comida (meus altos padrões de comida mineira preparados por minha mãe e minha irmã, são embatíveis), mas até o meu marido que gosta até de sopa de pedra, reclamou).

Detalhes: almoço somente entre 12:00 e 14:00 e nem adianta procurar ou pedir uma faca.

9) Quais as dicas você daria para o turista de primeira viagem?

Leve muito, muito, muito dinheiro. Porque nada é grátis, nem mesmo ir ao banheiro.
A coca-cola mais cara que já bebi foi em Roma: 4 euros / 8 dólares/ 16 reais!!
Pedágio de 25 euros/ 50 dólares/ 100 reais!!
E nao tenha medo de se aventurar pelo pais, eh possivel visitar e aproveitar bastante apenas com os mapinhas, simples e precisos que os hotéis te dão.

10) Das coisas que você viu por aqui, tem alguma coisa que você gostaria que o Brasil copiasse?

A preservação do verde! Fiquei impressionada como um pais tão pequeno e com custo de vida tão elevado, não se deixou corromper pela ganância da urbanização desenfreada e qualquer custo. Para todos os lados que se vai, é nítida a preocupação e zelo com a manutenção da área verde. Até mesmo Positano, uma cidade entre as pedras é riquíssima em plantas, flores e arvores.

Mas, principalmente gostaria que o Brasileiro aprendesse ao ser tão apaixonado por seu pais como os italianos. O patriotismo, o orgulho e o talento de ver e criar oportunidades pra o turismo e assim gerar empregos e riquezas para o país. A velha estória de transformar em limonada os limões que a vida lhe dá.

11) Enfim a ultima pergunta, você voltaria outras vezes a Itália?
Com certeza!! Na verdade se eu pudesse eu mudaria para uma das cidades da região Toscana. Imagine, eu e meu grande amor sentado ao final da tarde degustando um vinho, mais um, mais outro e depois já bêbados tentando descobrir o caminho de casa.
Seria só felicidade!
!

Obs:Aqui em Firenze è ilegal fazer churrasco em casa ou em lugar publico. Para fazer churrasco, voce deve estar numa casa de campo, longe da cidade, caso o contrario, voce podera ser multado. Nao sei se no restante da Italia è assim... Acho que depende de cada Comune.

Fico muito contente que o saldo da viagem tenha sido positivo! Nao vejo a hora de voce retornar, e dessa vez com mais calma! Um beijo no coraçao!!!

8 on: "Uma primeira visao da Italia"
  1. Conheci seu blog depois de conhecer o blog Arco Iris da Vida. Ainda vou pesquisar mais aqui.

    Porém gostaria de fazer mum comentário sobre essa entrevista.

    A Itália que ela visitou não é a Itália que eu visitei e aprendi a amar nas cinco ou seis viagens que fiz pelo país. Diria que não reconheço o país que ela retratou. Talvez por não falar italiano, ela não tenha tido a mesma impressão positiva que eu tive.

    Os italianos não são arrogantes. Eles são impacientes, as vezes parece falta de educação. Os franceses também são assim. Mas falar a lingua ajuda muito.

    Comi e bebi muito bem na Itália em lugares maravilhosos e não sofisticados. Fui comer onde os italianos comem e fui tratado como um deles.

    Procuro sempre não me portar como o turista típico, aquele invasivo, chato, que não vê graça dm nada e morre de saudade do feijão com arroz. Para mim, viajar é uma aventura cultural. É uma escola de vida. Meu interesse são sempre os lugares e as pessoas que vivem ali.

    abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá, meu nome é Danilo eu tenho 13 anos de idade e também sou blogueiro, achei seu blog muito legal e interessante, por isso estou seguindo ele...
    Siga meu blog também!
    Valeu amigo(a)!
    Fique com Deus!
    http://30trena.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ex-critor

    Obrigada pela visita e pelo comentario. Seja bem vindo ao Noticias da Botas.

    Algumas coisas eu concordo com a minha amiga, outras coisa nao, mas isso varia de pessoa pra pessoa e a nossa primeira visao nem sempre è a correta. Como turista, eu tinha uma visao e como residente tenho outra. Nao acho os italianos arrogantes ( a nao ser o pessoal da Questura). O que eu acho è que eles sao muito diretos nas palavras. Eles nao sao de ficar maquiando o que vao dizer nao, ate o meu marido è assim. Se tiver que falar alguma coisa, eles falam doe a quem doer. Mas eu concordo que os serviços oferecidos em restaurante e lojas sao abaixo do desejado. Sempre tenho problema em restaurantes, principalmente com o garçon, pois dificilmente eles me deixam escolher a mesa que eu quero. As vezes a mesa que desejo esta desocupada e sem reserva, mas eles querem que eu uso outra. Nas lojas sao piores, quando da 15 minutos do horario pra fechar, eles te convidam a sair da loja... Eu com o meu pensamento brasileiro, achava super estranho, convidar cliente a ir embora, mas hoje estou mais habituada.


    Nos meus primeiros 03 meses como residente, tambem emagreci, porque eu nao me adaptava a cozinha italiana. Como turista è outra coisa, tudo è festa. Mas como residente è diferente, dia apos dia, mes apos mes, no inicio è complicado. Depois dos 3 meses me adaptei e recuperei todo o peso que eu tinha direito e o que eu nao tinha tambem.

    E claro que quando voce fala a lingua, isso em qualquer pais do mundo, a simpatia è maior. Isso eu nao tenho duvidas, a comunicaçao è a grande chave do negocio.

    Enfim, eu nao achei que a visao dela foi negativa nao... Achei que foi muito positiva em relaçao a Italia. E tenho certeza que nas proximas visitas, essa visao aos poucos se desenvolvera.

    Um abraço pra ti

    ResponderExcluir
  4. Danilo

    Super interessante que um rapaz tao jovem como voce se interesse em escrever em Blogs. Com certeza vou la te visitar!

    Obrigada pela visita, pelo comentario e por seguir o meu Blog!

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Oi Cris,
    Em Firenze nao pode fazer churrasco? Aqui em Brescia, onde todo mundo toma conta da nossa vida, ninguém falou nada quando montamos uma de concreto.
    Nao concordo com os comentarios sobre as comidas da Italia. Tem que saber onde comer.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ju

    Aqui o Sindaco lançou uns procedimentos novos no ano passado e entre eles esta o nosso churrasquinho. So se pode fazer churrasco em casa de campo, onde nao incomodo os outros moradores... Ninguem merece ne !!!

    ResponderExcluir
  7. Pois é, onde moro é interior, mas ninguém reclama de churrasco nao. Alias, nem sabia que eles fossem fans do nosso churrasquinho (que muitos associam a Argentina).

    Esqueci de comentar um ponto da entrevista com sua amiga. Ela disse do "of course" quando perguntaram ao recepcionista onde era o elevador. Eu acho que foi por causa da lingua, nem todos dominam o ingles. Ou também o "certo" italiano soa um pouco grosseiro.

    Ja recebi grosseria em Roma de uma mulher que estava vendendo cartoes postais. Mas nao foi bem grosseria, foi meio falta de educaçao. Em Veneza foi pior... estava vendo os cartoes postais numa loja, que ja estava aberta, e a dona disse assim "aspetti che sto ancora sistemando". Disse em tom arrogante e nao educadamente. E uma das funcionarias do correio da cidade onde moro, que nao responde bom dia e nem tchau. Mas isso nao é so comigo, so quem ela conhece que é simpatica.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cris!
    Também fiqui surpresa com essa historia de ser proibido fazer churrasco! Vivo em Firenze com meu namorado que é gaucho. Bem, imagina so' quantos churrascos a gente ja' nao fez no jardim?! Nunca fomos incomodados por ninguém reclamando que era proibido...Acho que ninguém sabe! Se soubessem, ja' tinham vindo "lamentarsi"! Italianos sao campeoes no quisito "tomar conta da vida do outro"! Parabéns pelo Blog! Abraço!

    ResponderExcluir

Cristiane de Oliveira, brasileira, natural do Rio de Janeiro, mora em Florença
há mais de cinco anos. Apesar de ter o coração verde e amarelo, se apaixonou pela Italia e mais precisamente por Florença a ponto de estudar minusiosamente a história da arte, do povo e da cidade onde vive. Hoje, Cristiane, è guia turística autorizada da cidade de Florença.

- Favor não usar termos ofensivos ou palavras inadequadas;
- Evite o uso desnecessário e excessivo do "Internetês" ou abreviaturas;
- Seja claro e objetivo;
- Leia os comentários antes de postar perguntas repetidas ou já respondidas;
- Procure postar os comentários nas páginas dos respectivos assuntos;
- Elogios são bem-vindos, críticas e sugestões também.

Obrigada pelo seu comentário !

Comentários racistas e ofensivos não serão lidos e nem publicados.

Marcadores

Acampamento no deserto Acordos Internacionais Arezzo Arqueologia Arte Assistencia Bagno Vignoni Bate-Papo com o Leitor Beato Angelico Berlim Brasil Brasileiros no Mundo Brunello Calábria Campanhas Campania Cantinho da Fada Peregrina Capela Sistina Capo Vaticano Cappella Brancacci Caravaggio Caserta Casertavecchia Chianciano Chianti Cinema Consulados Conversa fiada Corredor Vasariano Cortona Curiosidades Dante Datas Comemorativas Desvendando Florença Dicas de Viagem Dirigir na Italia Donatello Educaçao Emilia-Romagna Enogastronomia Enquetes e entrevistas Esporte Estudar na Italia Eventos Ferrari Fez Fiesole Fique de olho Firenze Florença Galeria de arte moderna Ghirlandaio Giacomo Leoparti Giotto Governo Italiano Grandes Pensadores Grutas de Frasassi Guia de Turismo Guia Florença Hoteis em Florença Humor Igrejas Imigraçao Inferno Dan Brown Informatica Italia Jubileu Lavoro Le Marche Legislação Italiana Leonardo da Vinci Livros Loreto Lucca Macchiaioli Mae Maranello Marrakech Marrocos Matrimonio Medici Memes Mercadinho de Natal Meus Rabiscos Michelangelo Milão Moda Montalcino Montecatini Montefalco Montepulciano Mugello Mulher Brasileira Multas Museu Davanzati Museu de São Marcos Museus Napoli Natal Nobile de Montepulciano Noticias Outlet Pádua Paestum Palazzo Pitti Palazzo Vecchio Palermo Palio Para relaxar Parceiros Patente italiana Permessos vistos e Cidadania Piazza della Signoria Piazzale Michelangelo Pienza Pisa Politicas Prostituiçao Puglia Rafael Sanzio Recanati Receitas Recursos Humanos Reis Magos Roma Sabores da Italia Salvatore Ferragamo San Gimignano San Marino San Quirico San Vivaldo Sandro Botticelli Santa Croce Santos São Francisco São Lorenzo Sardegna Saude Scaperia Sicilia Siena Sobre mim Soltando os bichos Spello TAX FREE Teatro Romano Todi Torre de Pisa Torres Toscana Transporte Trenitalia Tropea Truffa Turismo TV Uffizi Umbria Università Val d'Orcia Valle D' Aosta Vasari Vaticano Veneza Vesuvio Viagem Vida a dois - Vita di coppia Videos Ville Medicee Vinhos Volterra
Noticias da Bota. Imagens de tema por Storman. Tecnologia do Blogger.