Montalcino, a terra do vinho Brunello

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Montalcino é uma pequena cidade localizada na Provincia de Siena, no coração  da Toscana. O nome da cidade é derivado das palavras latinas mons (montanha, colina) e ilex (azinheira, carvalho), que significa "montanha de carvalhos".  

A pequena Montalcino, com seus 5000 habitantes, é uma cidade famosa pelos seus vinhos. As condições climáticas e o solo rico em nutrientes, fazem  da região uma grande produtora de  um dos melhores vinhos italianos, o vinho Brunello.
  
A história de Montalcino se confunde com as diversas batalhas que aconteceram no decorrer do tempo entre as cidades de Florença e Siena.

Montalcino não é somente vinho Brunello não! Além da degustação de vinhos , a fortaleza de Montalcino, construída em 1361 merece uma atenção especial. De lá, temos um belo  panorama  de  Montalcino e das vastas regiões vitícolas. Além disso, no pátio da Fortaleza, podemos apreciar uma seleção dos melhores vinhos Brunellos.
 
As ruas estreitas do centro são cercadas pelas antigas muralhas da cidade. Não muito longe da Piazza
del Popolo, podemos admirar  a Catedral de San Salvatore construída a partir  do século XIV.

Próximo a Montalcino, a dica é visitar a Abbazia di Sant'Atimo, mas isso será um assunto, juntamente com o vinho Brunello, para os próximos posts.!

Fortaleza de Montalcino


A Farmacia de Santa Maria Novella em Florença

sexta-feira, 28 de março de 2014


Depois de diversas dicas de hospedagem em Florença, hoje a Ana Luiza nos presenteia com uma super dica: A Farmacia de Santa Maria Novella!

"Algumas curiosidades sobre Florença.

A poucos passos do Hotel Rivoli, um antigo convento franciscano transformado em hotel, na mesma rua de nome “Via della Scala” existe uma das mais importantes excelências do Made in Italy, a Officina Profumo-Farmaceutica Santa Maria Novella.

A farmácia-perfumaria nasce em 1221 pelos padres dominicanos. Estes cultivavam no horto-botânico diversas ervas para a preparação de medicamentos, bálsamos e pomadas para a pequena enfermaria do convento. Desde o início os elixires, liquores, xaropes e perfumes a base de ervas e especiarias eram uma especialidade renomada pelas suas propriedades digestivas e tônico-fortificantes além dos perfumes com suas fragâncias especiais. Apreciados pelos viajantes e pelos senhores da nobreza que se hospedavam no convento, o consumo destes produtos se propagou por Florença e por toda Itália.

Foi assim que em 1612 o Frade Angiolo Marchissi abriu a farmácia ao público e os nobres e a realeza da época ajudaram a propagar a sua fama pelos quatro cantos do mundo, desde a Rússia, India chegando até mesmo a China, graças também, ás suas fómulas milagrosas e ás fragâncias diferentes elaboradas pelo laboratório destes frades.

A Officina Profumo-Farmaceutica Santa Maria Novella è hoje um pequeno Museu com diferentes salas decoradas com afrescos e móveis antigos, onde os produtos são ainda hoje confeccionados seguindo o procedimento artesanal da época renascimental. As receitas criadas pelos frades e as matérias-primas utilizadas são hoje rigorosamente controladas durante a produção para garantir assim a qualidade ao consumador.

O meu conselho é não deixar Florença sem vistiar este laboratório delicado e mágico, talvez levando pra casa um produto especial desta farmácia natural, além de conhecer as fragâncias com as quais se perfumavam a realeza renascentista, e ainda, você vai poder saborear os liquores e elixires dos nobres daquela época.

Aproveite Florença e descubra um cidade cheia de novidades e encantos especiais!"

Boa Viagem!
Ana Luiza



Castellina, no coração do Chianti

domingo, 23 de março de 2014

Hoje vamos conhecer a pequena cidade de Castellina in Chianti. Como diz o nome, Castellina é uma das cidades que fazem parte da zona chamada Chianti, famosa em todo mundo pela produção de vinhos. O Chianti é uma zona geográfica que é localizada entre as cidades de Florença e Siena.

O território onde surge a pequena cidade de Castellina in Chianti, em tempos muito antigo, foi povoado pela civilização etrusca. Os Etruscos foram os primeiros povos a impor o seu poder na  parte central da Península Itálica, principalmente no território onde hoje se encontra a Toscana.

Nos arredores de Castellina existem diversas casas feudais, o que nos faz compreender que essa zona foi palco de diversas batalhas, especialmente entre as cidades de Siena e Florença. As casas feudais funcionavam principalmente como ponto de defesa. De fato, Castellina in Chianti foi sempre caracterizada pela função militar. 

No século XII, Castellina foi transformada em um importante presídio florentino e um século depois, a cidade foi juntamente com as cidades de Radda in Chianti e Gaiole in Chianti, sede da "Lega del Chianti".

Nessa época Castellina já era uma cidade murada e assim suas estruturas defensivas foram reforçadas diversas vezes ao longo do tempo até a última reforma feita em meados de 1450 pelo arquiteto Giuliano da Sangallo.

O maciço muro de forma hesagonal possuia numerosas torres quadradas e duas grandes portas: uma voltada para a cidade de Siena e outra para Florença. De tudo isso  nos resta algumas torres, parte dos muros (a maior parte do muro foi englobado por algumas casas feitas em época posterior), e a grande "rocca" que hoje è o palácio da comuna. 

No centro de Castellina podemos visitar a Igreja de San Salvatore que abriga um afresco provavelmente feito no final do século XIV que representa a Virgem Maria com o Menino Jesus (Madonna col Bambino) do pintor florentino Lorenzo di Bicci.

Da pracinha em frente a Igreja parte a Via (rua) Ferruccio, que é considerada a espinha dorsal da cidade e onde podemos admirar alguns elegantes palácios feitos nos séculos XIV e XV. 

A essência de Castellina è parte medieval que podemos admirar na famosa Via delle Volte. Trata-se de um pitoresco caminho coberto que corre debaixo dos arcos de sustentação das casas que foram construídas apoiando parte dos muros da cidade. 

Quem passar por Castellina, não pode deixar de visitar uma das dezenas de vinicolas produtoras do vinho Chianti. 

A Rocca de Castellina

Via delle Volte

A Igreja de San Salvatore


Dica de hotel em Florença: Palazzo dal Borgo

quinta-feira, 20 de março de 2014


Vamos conhecer mais uma dica de hotel em Florença? A dica de hoje foi enviada pela Analuisa! Hoje è a vez do Hotel Palazzo dal Borgo!


Um pouquinho mais sobre o Ars Hotels. Uma pequena rede de hotelaria de 4 hotéis. Já falei do Grand Hotel Adriático e do Hotel Rivoli. Agora vamos falar do Hotel Palazzo dal Borgo.

A segunda família a unir-se ao grupo ARS Hotels foi a do Senhor Riccardo Zucconi.

O Palazzo Dal Borgo é um antigo edifício do século XV, construído em 1480. Pertencia á parentes dos Médicis, família “Dal Borgo”, daí o nome... é um ambiente ideal pra quem deseja sentir a atmosfera histórica da cidade em plena “renascença”. A família Zucconi comprou o edifício nos anos 50. O edíficio foi reformado sem abandonar as características do renascimento, o senhor Riccardo Zucconi cresceu vendo seus pais cuidarem do hotel com muito carinho.

Localizado no coração de Florença a poucos metros da Igreja Santa Ma ria Novella, do lado da famosa perfumaria que possui o mesmo nome, o Hotel Palazzo dal Borgo é praticamente a 50 metros do Hotel Rivoli. Possui 34 apartamentos aconchegantes e decorados ao estilo renascentista. Os apartamentos são diferentes um do outropois cada ambiente era um comodo deste sofisticado palácio: capela, dormitórios, cozinha, sala de jantar... Tudo foi transformado em hotel, reunindo assim o mais moderno conforto ao, autêntico “palácio” do século XVI.

Para saber mais sobre “Palazzo dal Borgo” visite o site http://www.hotelpalazzodalborgo.it/pt-pt/.
No site você encontrará o depoimento do proprietário do hotel, onde ele nos conta a  sua história de vida e sua trajetoria no Brasil. Imaginem so... ele até escreveu um livro sobre a sua vida no Brasil !!!

Quem quiser saber mais sobre ARS Hotels ou saber detalhes sobre preços e serviços entre em contato com brasil@arshotels.eu"




Itinerário de meio dia em Siena

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014


Segundo post da série Visitar Siena e arredores!

Visitar os museus mais importantes e os lugares mais significativos de Siena em apenas metade de um dia é possível, basta ter uma boa organização. Há três coisas que você não poderá perder:  o Palazzo Salimbeni , a Piazza del Campo e o Duomo . O itinerário abaixo foi projetado assumindo como ponto de partida o ponto de ônibus na zona de San Domenico.

Palazzo Salimbeni, sede do Banco Monte dei Paschi di Siena

Piazza Salimbeni -Siena
O Palazzo Salimbeni é certamente um dos símbolos da cidade de Siena. Sede histórica do banco Monte dei Paschi di Siena, está localizado no centro da cidade na praça que leva o seu nome. No centro da  Piazza Salimbeni encontraremos  a estátua de Sallustio Bandini e aos lados os Palácios Tantucci e Spannocchi.

Típica construção  renascentista com a fachada que relembra umafortaleza, arcos ogivais que lembram o estilo gótico, o Palácio Salimbeni abriga importantes obras de arte   que merecem destaque mundial. Entre elas podemos mencionar as seguintes obras: Madonna della Misericordia de Benvenuto di Giovanni,  Salomè e  Santa Luzia de Beccafumi, a Cruxificação de Pietro Lorenzetti e a  Pietà de Arcangelo Salimbeni.

Piazza del Campo, o teatro do Palio de Siena

Piazza del Campo
 A segunda etapa è a Piazza del Campo. É a praça mais famosa de Siena e também uma das mais famosas do mundo. Durante séculos tem sido palco do Palio de Siena, que acontece duas vezes por ano . A praça possui a forma de concha, motivo pelo qual a Piazza del Campo é uma das mais originais, do ponto de vista arquitetônico, reforçada pela imponente Câmara Municipal que domina a praça. O Palazzo Pubblico é uma das principais atrações de Siena. O  palácio foi construído pelo município inteiramente de tijolos e mármore entre 1298 e 1310.

Dentro você poderá admirar o Museo Civico , valioso pela  presença de alguns afrescos de grande valor: o Ciclo do bom governo, obra de  Ambrogio Lorenzetti - exposta na Sala dos Nove - ou a majestade e o Guidoriccio da Fogliano , ambas obras de  Simone Martini que se encontram na sala del Mappamondo.

Entre as salas mais importantes, recordamos a Sala del Risorgimento, que abriga um ciclo de pinturas dedicados a Vittorio Emanuele II depois da sua morte, e também a Sala de Concistoro, onde em época remota acontecia as reuniões do governo de Siena.  Nesta sala poderemos admirar uma obra prima do manierismo italiano, o Ciclo das Virtudes (Ciclo delle Virtù), obra de Domeninco Beccafumi realizada entre os anos de 1529 e 1535. Em época medieval, o espaço que hospeda a Piazza del Campo era usado pelos mercados e feiras e na primeira metade de 1300 a praça assumiu a forma que vemos hoje.

Outra beleza arquitetônica que tem vista para a Piazza del Campo, é a Torre del Mangia , também datada do século XIV, e assim denominada a partir do apelido de seu porteiro Giovanni di Duccio , que era conhecido por desperdiçar seus ganhos na mesa, ou seja, com comida. Com seus 102 metros de altura a torre é uma das mais altas da Itália , perdendo apenas para Torrazzo de Cremona.  A parte final da torre abriga o chamado campanone (sino grande) ou " sunto " por causa da sua dedicação a Nossa Senhora da Assunção (Madonna dell’Assunta). Digno de menção também a Capela , decorada por Taddeo di Bartolo , com afrescos representando cinco histórias de Maria .

O Duomo de Siena e o seu magnífico piso

O Duomo de Siena
 Finalmente chegamos à descoberta do Duomo de Siena. A Catedral - construída por uma resolução do Gran Consiglio della Campana de 1339 e , em seguida, passou por um longo processo de construção, demolição e reconstrução parcial - é uma obra que atrai anualmente mais de um milhão de visitantes de todo o mundo.

Uma obra monumental, em estilo românico-gótico , é o melhor exemplo da arquitetura de Siena, construído inteiramente de mármore branco e preto, de acordo com a mais típica dicromia da Toscana. A catedral preserva dentro uma série de obras de inestimável valor , a partir do magnífico piso, totalmente executada por artistas que combinam as técnicas de graffiti e comesso de mármore .
Obras de escultores como Nicola Pisano (autor do púlpito ) , Michelangelo (que também esculpiu São Pedro e São Pio , São Paulo e Santo Agostinho para o altar Piccolomini ) , Donatello ( executor da estátua de João Batista) , Bernini (seu trabalhos podem ser encontrados na Capela da classificação ), mas também Francesco di Giorgio Martini, Domenico Beccafumi ,Antonio Raggi , Pietro Balestra adornam a Catedral de Siena.

Outra obra-prima é reconhecida dentro do ciclo de afrescos de Pinturicchio na Biblioteca Piccolomini e dedicada ao Papa Pio II. Dentro desdobra um rico complexo de museus , fundados  em 1869.

Você poderá gostar também do post: Visitar Siena e Arredores


Visitar Siena e arredores

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

A partir de hoje, iremos dedicar alguns posts a cidade de Siena, que é uma das grandes protagonista da Toscana. 

Siena, juntamente com Florença e Pisa, é um dos centros artisticos mais frequentados da Toscana. Conhecida em todo o mundo pelo famoso Palio (que acende a grande paixão dos seneses quanto a reprovação de diversas organizações de proteção aos animais),  a cidade de Siena foi uma das grandes protagonista da história da Toscana e da Europa, seja pelo ponto de vista artistíco, que do ponto de vista econômico e financeiro. Siena è a sede do Banco mais antigo do mundo que ainda è está em atividade, o Monte dei Paschi di Siena.

De provável origem etrusca, mas foi somente o período medieval que marcou a identidade de  Siena. Durante os séculos XIII e XV que diversas correntes artisticas floreceram em Siena.  Sempre ligada ao interesse bancário e ao mesmo tempo a Roma, estado que pertencia a Igreja Católica, como nos recorda a Loba colocada em frente ao Duomo (Catedral) de Siena. Boa parte da história de Siena è caracterizada pelas diversas batalhas com a cidade de Florença. Na metade do século XIV, Siene foi conquistada definitivamente por Florença.

Isso explica o motivo pelo qual o centro histórico de Siena, limitado por Florença, pode ser visitado confortalmente visitado em apenas meio dia - isso se o visitante não tiver interesse em conhecer o patrimonio artistico da cidade, como museus e igrejas pois não é por acaso  que desde de 1995, todo o centro histórico de Siena recebeu o título de Patrimonio da Unesco.

Muito notável também são os arredores de Siena, com as características cidadezinas do Chianti, Val d'Orcia e das Crete Senesi. Siena é, portanto, um bom ponto de partida para descobrir alguns dos lugares mais característicos da Toscana.

Quanto aos transportes, poderemos chegar a Siena  através de onibus ou de trem, ou ainda com o carro.

Mostra de Presepios em Florença

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

PRESEPI D’AUTORE IN ‘EX CONVENTO’
Presépios de Autor em Ex Convento

No dia 8 de dezembro de 2013, será inaugurada n
o Hotel Rivoli de Florença, localizado na via della Scala 33, a 2a. edição da Mostra de Presépios do artista Claudio Ladurini. O Mestre, originário de Fiumalbo (Modena) realiza ainda hoje as suas criações no pequeno laboratório na praça da sua cidadezinha. Com quase 50 anos de atividades, sua arte é ainda hoje reconhecida em toda Itália.

São 26 pequenas reproduções de Natividade, mecânicas e não, contruídas utilizando diferentes materiais em madeiria para contar o nascimento de Cristo e como o Natal é vivido nos pequenos burgos do Apenino Tosco-Emiliano.

O Natal de 2012 nos confirmou mais uma vez, diz a proprietária do Hotel, Chiara Caridi – que os hotéis da cidade não devem estar somente a disposição dos turistas. Os hotéis são um bem da cidade, e por isso nós hoteleiros deveríamos realizar eventos interessantes ao público, de forma que também os florentinos possam viver os nossos ambientes. O grande público que frequentou a I edição nos mostrou o quanto é fácil realizar eventos deste tipo, e o quanto é evidente que a cidade quer participar. No ano passado recebemos a visita de muitos florentinos e de algumas escolas primárias que apreciaram a idéia e cultivam o espírito natalício da nossa bela Florença.”

A Mostra vai ser inaugurada domingo 8 de dezembro 2013 ás 16hs. É aberta ao público das 11hs ás 21hs do dia 9 de dezembro até dia 6 de janeiro 2014. Entrada franca.

Para maiores informações e detalhes:
Responsabile Hotel Rivoli
Tel. +39 055 27861



Pienza, a cidade do Papa Pio II

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Pienza é uma cidade italiana localizada na Região Toscana, na Provincia de Siena. Em 1996 o centro histórico de Pienza foi inscrito como Patrimônio Mundial da UNESCO pela sua importância arquitetônica.

A história de Pienza é muito ligada a história do seu fundador: Eneas Silvio Piccolomini, ou melhor o Papa Pio II, que nasceu alí no ano de 1405. Os pais de Pio II, eram membros de uma nobre familía de Siene e por motivos políticos foram confinados na pequena cidade que naquela época se chamava Corsignano.

A história de Pienza está intimamente ligada ao seu fundador, o Papa Pio II, batizado como Enea Silvio Piccolomini. O papa Pio II nasceu em Corsignano (nome original de Pienza)  no ano de 1405 e seus pais eram membros de uma  família nobre de Siena que por reveses políticos foram confinados à propriedade rural.
 
A então cidade de Pienza, que naquela época era chamada de Corsignano era na verdade um pequeno povoado fortificado.

Enea Silvio Piccolomini, refinado e distinto humanista, empreendeu uma carreira eclesiástica e se tornou Papa. Por vontade do Papa Pio II, ele transformou o pequeno povoado onde nasceu em uma cidade a qual foi chamada de Pienza, em homenagem ao nome que foi escolhido para o seu papado: Pio II.

O Papa Piccolomini não queria  qualquer cidade, mas um centro urbano altamente digno e em perfeito contraste com as outras cidades como Siena por exemplo,  que tinham injustamente marginalizado a sua família.

Assim, Pio II, escolheu famosos arquitetos e ordenou que no projeto da nova cidade  fossem implícitos os princípios de construção e filosofia de uma época que se estava nascendo cheia de promessas: o Renascimento italiano.

Em apenas três anos, 1459-1462, surguiu Pienza, a Cidade Ideal, a Cidade da Utopia. Como escreveu Giovanni Pascoli, Pienza é a cidade que  "nasceu a partir de um pensamento de amor e um sonho de beleza".

Difícil dizer o que se tornaria Pienza, se o Papa não tivesse morrido prematuramente, na véspera de uma cruzada contra os muçulmanos. Era 14 de agosto de 1464.

O que visitar em Pienza:

Duomo de Pienza: Construído pelo arquiteto Bernardo Rossellino no ano de 1459. A parte externa do Duomo foi feita de acordo com a arquitetura renascentista, porém na parte interna, encontramos diversos elementos da arquitetura gótica.

Palazzo Piccolomini: O palácio construído também pelo arquiteto Bernardo Rosselino, surge ao lado do Duomo e foi a residencia dos descentes do Papa Pio II até o ano de 1968. O palácio é inspirado ao Palazzo Rucellai edificado em Florença pelo arquiteto Leon Battista Alberti. Os comodos que são abertos ao público inclui o quarto e a biblioteca do Papa Pio II, nos quais são visíveis os seus objetos pessoais. 

Pieve di Corsignano: O Papa Pio II foi batizado nessa igreja de arquitetura romanica do século  XI. A Igreja possui uma curiosa torre redonda e um portal decorado com motivos floreais. 

O Pecorino de Pienza

Pienza é muito famosa pela produção do pecorino que é um queijo feito com leite de ovelha pasteurizado, coalho, sal, bactérias lácticas. Não deixe de provar!

A Fachada do Duomo de Pienza

O interno do Duomo de Pienza
 
O famoso poço de Pienza

O palacio da Comuna de Pienza

O jardim do Palazzo Piccolomini

Palazzo Piccolomini - Fachada

Praça Pio II - Pienza
Praça Pio II - Pienza 


O pecorino de Pienza

Vista panoramica de Pienza

Pieve de Corsignano - fachada

Interno da Pieve de Corsignano

A muralha de Pienza

O Monte de São Francisco: O Santuário da Verna

domingo, 27 de outubro de 2013

O Santuário da Verna, localizado na Toscana, ha poucos kms de Arezzo, na cidade chamada Chiusi della Verna é antes de tudo um local de fé, de oração e de devoção a São Francisco de Assis. 

Neste monte áspero e rochoso, São Fracisco se recolhia para rezar e fazer penitência. Aqui, em setembro de 1224, São Francisco recebeu os estigmas.

Desde então, ao longo dos séculosVerna tornou-se um lugar de espiritualidade imerso em um ambiente místico e fascinante criado em parte pelos frades franciscanos, através da arquitetura convento, mas principalmente doado pelo natureza ou seja, a forma particular da montanha rochosa.

Hoje o mosteiro é ao mesmo tempo uma renomada atração turística e um importante centro religioso. Os edifícios mais modernos não são muito interessantes, mas abrigam numeros esculturas dos Della Robbia, famosos escultores renascentistas florentinos. Existem muitas trilhas panoramicas que atraversam os bosques nos arredores do mosteiro.

Os lugares de maior interesse são:

Igreja Santa Maria degli Angeli (Santa Maria dos Anjos)


Foi a primeira Igreja a ser edificada no Monte.  Provavelmente foi edificada em forma rudimentar por São Franciscos e pelos seus primeiros seguidores.

Basilica Maggiore (Basilica Maior)


Realizada entre os séculos XV e XVI

Corridoio delle stimmate (Corredor dos Estigmas)


Onde foram feitos 22 afrescos  de Baccio Maria Bacci que retratam a vida de São Francisco e onde e ocorre todos os dias às 15 uma Procissão.

Caverna "Letto di San Francesco" (Cama de São Francesco)
Outro local interessante de visitar é  caverna chamada " Il letto di San Francesco", (cama de São Francisco), a Capela dos Estigmas, que foi construída em torno de 1260 por vontade do Conte Guido  Poppi no local exato onde São Francisco recebeu os estigmas.

Imperdivel também é o curta , mas espetacular passagem sobre o precipício do penhasco, o encantador Sasso Spicco . O Verna, como já disse, é um lugar de arte. Em particular, ele é rico em esculturas  refinadas de terracotas da familia  Della Robbia. 


A Basílica abriga uma das obras-primas da Andrea Della Robbia: a Anunciação.

Mais informações:
Santuario Francescano, Via del Santuario, 45

52010 Chiusi della Verna (AR)
Tel. 0575 5341

A alta moda em Florença

domingo, 20 de outubro de 2013

Via Tornabuoni
Existem várias cidades no mundo que pode ser considerada um verdadeiro "paraíso para os amantes da moda": Paris, Nova York, Londres, Milão. Nenhuma cidade, no entanto, pode competir com o fascinante triângulo da moda de Florença.

Enquanto Los Angeles tem Rodeo Drive e New York a  Fifth Avenue, Florença possui  três ruas que são famosas por suas elegantes butiques: Via Tornabuoni, Via della Vigna Nuova e Via Strozzi. Cada uma possui as suas próprias características e uma atmosfera muito especial.

Via Tornabuoni - A rua da alta moda florentina

O principal local de compras de luxo de Florença é a Via Tornabuoni, também conhecida como a Via dei Miracoli, (Rua dos Milagres).

A Via Tornabuoni reflete ainda hoje todo o esplendor das antigas famílias florentinas.

A rua recebeu nome em homenagem aos Tornabuoni - histórica e poderosa
família florentina - berço de duas grandes mulheres: Lucrezia Tornabuoni (que se casou com Piero de 'Medici, filho de Lourenço o Magnifico e Giovanna Albizi casada com Lorenzo Tornabuoni - ambas famosas pela beleza e por terem se casado com homens importantes da cidade de  Florença.

A homônima rua famosa pela reputação histórica dessas mulheres, ostenta boutiques de designers e joalheiros de luxo colocados em mansões e edifícios históricos adornados com afrescos renascentistas. 

No imponente Palazzo Spini Ferroni, por exemplo, encontramos a butique e o Museu de Salvatore Ferragamo que possui uma enorme coleção de sapatos feitos pelo famoso estilista. No museu Ferragamo encontramos sapatos feitos pelas maiores estrelas do cinema mundial como Carmem Miranda e Marilyn Morroe.  

No lado oposto encontramos as lojas de Versace, Tiffany, Yves Saint Laurent, Cartier, Dior, Prada, Bulgari, Gucci, Armani e muitas outras lojas de grife.

Florença também é o lar de uma das quatros sedes mundiais da Gucci: a loja florentina oferece uma rica seleção de artigos exclusivos, bem como alguns artigos inéditos para os mais apaixonados. Na Piazza Signoria por exemplo, temos o Museu Gucci.

Via della Vigna Nuova

Perpendicular à Via Tornabuoni, encontramos a Via della Vigna Nuova, que abriga grandes butiques da moda, como Dolce e Gabbana, La Perla, Lacoste e Ermenegildo Zegna.  Próximo a Via della Vigna Nuova encontramos também a Mont Blanc, bem como Swarovski, Versace e muitas outras marcas menores que poderão ser os grandes designers do futuro.

Via degli Strozzi

Do outro lado da Via Tornabuoni, Via della Vigna Nuova se torna Via degli Strozzi, onde encontramos a sede do Emporio Armani e muitas outras lojas de luxo, assim como uma grande variedade de hotéis e apartamentos de férias, que podem acomodar viajantes apaixonados pela alta moda.